Conferencistas Internacionais

/ International lecturers

CHRISTIAN.jpg

Christian Spencer


Sociólogo y Licenciado en Música -Pontificia Universidad Católica de Chile-. Doctor en Historia y Ciencias de la Música -Universidad Complutense de Madrid / Universidad Nova de Lisboa. Académico del Departamento de Música y Sonología Facultad de Artes, Universidad de Chile, Chile. Trabalha nas linhas “Folclore: historia, análisis y performance de músicas tradicionales y sus cruces con la música popular y clássica”. “Espacio: formas y consecuencias en que las artes inciden en el diseño, administración, uso y sentido dado al espacio. Esta línea incluye el estudio de las escenas musicales -chilenas y latinoamericanas-, los procesos de festivalización de la cultura y la creación y mantención de “sentido de lugar” por medio de las expresiones artísticas. Cultura popular: aspectos teóricos y metodológicos asociados al estudio de la cultura popular en Chile durante los siglos XIX y, en menor medida, siglo XX -énfasis en los espacios sonoros de Santiago y Valparaíso. Diretor da Revista Musical Chilena. Tem publicado livros e artigos em revistas científicas, bem como gravado CDs.

David-Cranmer.jpg

David Cranmer


Musicólogo anglo-português, é docente universitário (Lisboa, Universidade NOVA-FCSH). Coordena o Grupo “Música no Período Moderno” do CESEM (Centro de Estudos da Sociologia e Estética Musical), assim como o Caravelas – Núcleo de Estudos da História da Música Luso-Brasileira. Os seus diversos interesses de pesquisa incluem a música em Portugal e no Brasil desde o século XVIII até inícios do século XX, Marcos Portugal, a terminologia dos instrumentos, a catalogação de arquivos e bibliotecas musicais, e Camille Saint-Saëns. É autor, entre outros livros, de Música no D. Maria II: catálogo da coleção de partituras (2015), Peças de um mosaico: temas da história da música referentes a Portugal e ao Brasil (2017) e coordenador da monografia Marcos Portugal: uma reavaliação (2012). Contribuiu com o capítulo “From Spain to Lusophone Lands: Carmen in Portugal and Brazil” no livro Carmen Abroad: Bizet’s opera on the global stage (ed. Richard Langham Smith & Clair Rowden, Cambridge University Press, 2020). É igualmente pianista e organista.


EDUARDO LOPES.jpg

Eduardo Lopes

Efetuou estudos de bateria jazz e percussão clássica no Conservatório Superior de Roterdão (Holanda). É Licenciado pela Berklee College of Music (EUA) em Performance e Composição com a mais alta distinção (Summa Cum Laude). É Doutorado em Teoria da Música pela Universidade de Southampton (Reino Unido), sob orientação de Nicholas Cook. Em 2015 prestou provas de Agregação em Música e Musicologia na Universidade de Évora, tendo sido aprovado por unanimidade. Ao longo da sua carreira recebeu vários prémios e bolsas de estudo nacionais e internacionais. Atua regularmente com os mais relevantes músicos portugueses e artistas internacionais de renome, tais como: Mike Mainieri (Steps Ahead); Dave Samuels (Spyro Gyra); Myra Melford; Susan Muscarella; Kevin Robb, Phil Wilson; e Bruce Saunders. Gravou vários CDs, alguns dos quais como artísta principal.  Apresentou-se em concertos em Portugal, Espanha, França, Holanda, Inglaterra, Escócia, Brasil, Japão e EUA. É Artista Yamaha (Europa), e endorser das marcas de instrumentos Zildjian e Remo. É autor de vários artigos e textos sobre a problemática da interpretação musical, teoria da música e ritmo, jazz e ensino de música. Lecionou na Universidade de Southampton no Reino Unido e na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo em Portugal. De 2012 a 2016 foi diretor do Departamento de Música da Universidade de Évora. No ano letivo de 2016-2017 foi Professor Titular Visitante na Escola de Música e Artes Cénicas da Universidade Federal de Goiás, Brasil. Ao momento é Professor Associado com Agregação no Departamento de Música da Universidade de Évora; Diretor do Doutoramento em Música e Musicologia da UÉ; Coordenador do Pólo do CESEM na UÉ; e editor da revista brasileira de musicologia HODIE.

JUAN FRANCISCO.jpg

Juan Francisco Sans

 

Es un catedrático y compositor venezolano. Profesor Titular e investigador de la Universidad Central de Venezuela (UCV). Se ha dedicado por más de 35 años a la música. Acompañado de sus instrumentos: el piano, la flauta dulce y el órgano, ha sido director orquestal y coral. Es musicólogo, escritor, docente y locutor. Como comunicador ha trabajado para que la música sea incluida en la educación formal, a fin de construir y afianzar valores dentro de la sociedad. Es compositor, productor y director artístico con un gran abanico de obras musicales que le han hecho acreedor de reconocimiento a nivel internacional. Es pionero en la difusión de la ejecución de música para piano a cuatro manos, junto a su esposa Mariantonia Palacios, también pianista y docente-investigadora de la UCV. Se desempeñó como locutor en las emisoras Radio Capital, la Emisora Cultural de Caracas y Radio Nacional de Venezuela. Es miembro de la Sociedad Venezolana de Música Contemporánea, la Sociedad Francesa de Análisis Musical, la Sociedad Española de Musicología, la rama latinoamericana de la International Association for the Study of Popular Music (IASPM), la Sociedad de Autores y Compositores de Venezuela, la Sociedad Venezolana de Musicología y la International Musicological Society.

LAURENT.jpg

Laurent Albrecht Breuninger

O conceituado músico traz no currículo diversas premiações em concursos internacionais, além de cursos de aperfeiçoamento com renomados violinistas. Breuninger estudou, de 1981 até 1988, na Escola Superior de Música de Karlsruhe, na Alemanha, onde se formou com nota máxima, e onde, atualmente, é professor de violino. Breuninger apresenta-se como solista e camerista em vários festivais como o Festival Internacional de Bath (Inglaterra), Festival de Música de Câmara de Kuhmo (Finlândia), Teatro Champs D´Elysees (Paris), Schwetzinger Festspielen (Alemanha), entre outros. O músico gravou um CD com obras para violino e piano de Mendelssohn, Brahms, Breuninger e Wieniawsky, além de outros memoráveis concertos. Em 2012, juntamente com a pianista Ana Flávia Frazão, gravaram toda a obra para violino e piano de Villa-Lobos que foi lançado na Europa pelo selo Telos.

M. Krieger - Horn Chapel.jpg

Marcos Krieger

Recebeu seu Bacharelado em Música pelo Instituto de Artes da Universidade Federal de Goiás e seu Bacharelado e Licenciatura em Letras Modernas pela Universidade Católica de Goiás. Após estudos na Alemanha, mudou-se para os Estados Unidos da América, onde concluiu seu Mestrado em Música na Universidade Brigham Young. Com especialização em cravo e órgão, recebeu o grau de Doutor em Artes Musicais pela Universidade de Nebraska-Lincoln. Fez cursos de especialização na Alemanha, Itália, Espanha e Holanda. Atualmente, é professor de órgão, cravo e história da música na Universidade Susquehanna, uma instituição da Igreja Luterana com mais de 160 anos de tradição no ensino de música na Pennsylvania.    Como recitalista, Marcos Krieger já se apresentou no Brasil, Canadá, Alemanha, Áustria, Espanha, Itália e nos Estados Unidos onde reside. Se apresenta frequentemente também com grupos de música antiga, onde realiza o baixo contínuo. Também conhecido por suas contribuições em musicologia, publicou trabalhos sobre manuscritos e tratados para teclado do início da época barroca na Itália e na península Ibérica. Recentemente tem se dedicado à pesquisa dos tratados de contraponto e baixo contínuo de Carlo Foschi, compositor e organista do barroco romano e examinador da Academia de Santa Cecilia. É membro do conselho da Historical Keyboard Society of North America, tendo também participado como membro do júri de vários concursos de performance e de composições.

Nuno Fonseca.jpg

Nuno Fonseca

É atualmente investigador integrado do Instituto de Filosofia da Nova (Ifilnova) e colaborador do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM/FCSH/UNL). Investiga vários tópicos da Estética e Filosofia da Arte, focando-se sobretudo na experiência sonora no âmbito das práticas artísticas e musicais contemporâneas, mas também no contexto do quotidiano urbano. Leccionou, na FCSH-UNL, a disciplina de “Retórica e Argumentação” (2012-2014), no curso de Ciências da Comunicação, o seminário “Arte e Experiência” (2012-2013), no âmbito do mestrado em Estética, e vários cursos de curta duração sobre a Filosofia dos Sons e das Artes Sonoras (2015-2018). Licenciado em Direito (1998) e em Filosofia (2004) pela Universidade de Coimbra, concluiu no ano 2012, o doutoramento em Filosofia (Epistemologia e Filosofia do Conhecimento) na FCSH-UNL, trabalhando sobre questões de representação e de percepção. Para além de vários artigos e capítulos publicados nacional e internacionalmente, é também o autor da primeira tradução e edição integral da Lógica de Port-Royal, publicada pela Fundação Calouste Gulbenkian. Desde os anos 90, ligado a experiências com o meio sonoro, nomeadamente, através da realização de programas radiofónicos na Rádio Universidade de Coimbra e mais recentemente na RTP - Antena 2, tem feito também algumas incursões na sonoplastia de espetáculos de teatro e performance, nomeadamente, Antológica (2014), de Vasco Araújo e do Teatro Cão Solteiro e Morceau de Bravoure (2015), espetáculo do Teatro Cão Solteiro com a Companhia Nacional de Bailado.

PauloFerreiradeCastro.jpg

Paulo Ferreira de Castro

Estudou Piano, Canto e Composição no Conservatório de Música do Porto, tendo obtido a Licenciatura em Musicologia na Universidade de Estrasburgo (França) com uma tese sobre a recepção de Claude Debussy. Especializou-se depois na área da Dramaturgia Musical, obtendo o grau de Master of Arts pela Universidade de Leeds (Grã-Bretanha), em Estudos de Ópera, com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian. Em 2007 obteve o seu Doutoramento pela Universidade de Londres (Royal Holloway College), com uma tese sobre música e linguagem baseada na filosofia de Wittgenstein. Tem concentrado o essencial da sua actividade nos campos da investigação e da docência, principalmente no âmbito do Departamento de Ciências Musicais da Universidade Nova de Lisboa (do qual é actualmente Coordenador Executivo), sendo autor de numerosos estudos musicológicos, e co-autor de uma síntese da História da Música Portuguesa distinguida com o Prémio de Investigação e Ensaísmo Musical do Conselho Português da Música (edições em português, francês, inglês e mandarim). Foi colaborador do jornal Expresso como crítico musical, e tem participado em múltiplas iniciativas de divulgação musical, colóquios e encontros científicos em Portugal, Brasil e vários países europeus, frequentemente na qualidade de conferencista convidado. Foi nomeado em 1992 Director Artístico do Teatro Nacional de São Carlos, cargo que desempenhou até ao ano 2000, e que acumulou com o de Director da mesma instituição a partir de 1998. Nessa qualidade, foi responsável por mais de 60 produções operáticas, de Monteverdi a Ligeti, para além de inúmeros concertos e recitais, gerindo paralelamente a programação da Orquestra Sinfónica Portuguesa. Como encenador, assinou vários espectáculos no TNSC. Em 1998, fundou o Festival Internacional de Músicas Contemporâneas de Lisboa, “Música em Novembro”. Paulo Ferreira de Castro foi ainda Presidente da Sociedade Portuguesa de Investigação em Música entre 2010 e 2013. É membro do CESEM e dirigiu o projecto de edição de música portuguesa (PortugalSom) no âmbito da Direcção-Geral das Artes (Ministério da Cultura). Actualmente, desenvolve projectos de investigação em torno das temáticas da significação e intertextualidade musical e das filosofias da modernidade.

rodrigodepaula.png

Rodrigo Teodoro de Paula

Maestro licenciado em Direção de Orquestra pela Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais, Rodrigo Teodoro é mestre em Estudo das Práticas Musicais – Música e Sociedade, pela mesm universidade e mestre em Interpretação da Música Antiga pela Escola Superior de Música da Catalunha/Universidade Autónoma de Barcelona. Atua como musicólogo, diretor e cravista e cooperou com renomados músicos como Nicolau de Figueiredo, Maria Cristina Kiehr e Chiara Banchini. A frente do grupo Capella Brasilica gravou o CD “Modinhas”, aclamado pelas revistas Bravo, Concerto e Revista de História da Biblioteca Nacional (RJ), além de realizar concertos divulgando o património musical produzido sobretudo em Minas Gerais, nos séculos XVIII e XIX. Em 2012, fundou o ALEMMARES Ensemble, sediado em Lisboa – cidade onde se radicou – e junto ao qual se dedica ao estudo musicológico e à interpretação historicamente fundamentada da música ibero-americana participando de festivais de prestífio como o “Música em São Roque (Lisboa)” e o Festival Internacional de Música Antiga de Diamantina (Brasil). Foi pianista do grupo “Lyrical Jazz” com o qual gravou o CD homônimo, em 2005. Em 2008 realizou concertos com a consagrada cantora brasileira Elza Soares no projeto “Samba – 90 anos”. Actualmente Rodrigo Teodoro é doutorando em Ciências Musicais – Musicologia Histórica e Investigador associado do Centro de Estudos da Sociologia e Estética Musical – CESEM e do Núcleo de História da Música Luso-brasileira – Caravelas, pela Universidade Nova de Lisboa. Também é membro fundador do grupo “Musicologia Criativa”, responsável pelo Encontro Ibero-americano de Jovens Musicólogos (Lisboa, Porto e Sevilha).

​​